A  MINHA  ALMA  GLORIFICA  O  SENHOR
POESIA DE TEMA RELIGIOSO

A minha alma glorifica o Senhor!

Poetas  Portugueses

Antero de Quental

 

 

Na mão de Deus

Á Virgem Santíssima

A Sulamita

 

Home page

Poetas Portugueses

NA MÃO DE DEUS

Na mão de Deus, na sua mão direita,

Descansou afinal meu coração.

Do palácio encantado da Ilusão

Desci a passo e passo a escada estreita.

 

Como as flores mortais, com que se enfeita

A ignorância infantil, despojo vão,

Depus do Ideal e da Paixão

A forma transitória e imperfeita.

 

Como criança em lôbrega jornada,

Que a mãe leva ao colo agasalhada

E atravessa, sorrindo vagamente,

 

Selvas, mares, areia do deserto…

Dorme teu sono, coração liberto,

Dorme na mão de Deus eternamente!

 

À VIRGEM SANTÍSSIMA

Cheia de Graça, Mãe de Misericórdia.

 

Num sonho todo feito de incerteza,

De nocturna e indizível ansiedade

É que eu vi teu olhar de piedade

E (mais que piedade) de tristeza…

 

Não era o vulgar brilho da beleza,

Nem o ardor banal da mocidade…

Era uma outra luz, era outra claridade,

Que até não sei se as há na natureza…

 

Um místico sofrer… uma ventura

Feita só do perdão, só da ternura

E da paz da nossa hora derradeira…

 

Ó visão, visão triste e piedosa!

Fita-me assim calada, assim chorosa…

E deixa-me sonhar a vida inteira!

 

 

 

A SULAMITA

Ego dormio, et cor meum vigilat

Cântico dos Cânticos

 

Quem anda lá fora pela vinha,

Na sombra do luar, meio encoberto,

Subtil nos passos e espreitando incerto,

Com brando respirar de criancinha?

 

Um sonho me acordou… não sei que tinha…

Pareceu-me senti-lo aqui tão perto…

Seja alta noite, seja num deserto,

Quem ama até nos sonhos adivinha…

 

Moças da minha terra, ao meu amado

Correi, dizei-lhe que eu dormia agora,

Mas que pode ir contente e descansado,

 

Pois e tão cedo adormeci, conforme

É meu costume, olhai, dormia, embora,

Porque o meu coração é que não dorme…

 

  

Contacto